fbpx

O que Deus FEZ QUANDO um homem, após 10 anos sem frequentar igrejas, ENTROU EM condição financeira perigosa ?

Tem­po esti­ma­do de lei­tu­ra : 9 min

Pas­sei mui­to tem­po sem par­ti­ci­par de cam­pa­nhas e indo mui­to além de ape­nas não dar o dízi­mo, mas escla­re­cen­do peran­te a Bíblia que isso não se apli­ca aos gen­ti­os e aca­bei levan­do mui­tos outros a não dar. Sou inca­paz de con­si­de­rar a dan­ça como par­te do cul­to raci­o­nal e dei­xei de ter res­pei­to pelos gran­des líde­res gos­pel após tes­te­mu­nhar tan­tas here­si­as e men­ti­ras que estes intro­du­zi­ram e con­ti­nu­am sus­ten­tan­do no meio das empre­sas eclesiásticas.

A pala­vra que melhor se apli­ca ao que sin­to dian­te do mis­ti­cis­mo estú­pi­do que tomou con­ta dos cris­tãos de nos­sos dias é REPUGNÂNCIA… e, aos que con­se­gui­rem ler até o final des­se tex­to, será fei­to uma reve­la­ção sur­pre­en­den­te e difí­cil de acreditar.

Parte 1 — Relato gráfico e cronológico de como cheguei a uma tênue situação financeira

Quem acom­pa­nha meu pseudô­ni­mo sabe exa­ta­men­te que sou um cris­tão que pri­o­ri­za a Pala­vra de Deus aci­ma de tudo, não ten­do um pin­go des­se moder­no mis­ti­cis­mo gos­pel em minha vida. Quem me conhe­ce na vida real sabe que, ape­sar de meus esfor­ços para ser pru­den­te, a famí­lia e suas neces­si­da­des são minha prioridade.

Para reves­tir de vera­ci­da­de o epi­só­dio que pas­so a nar­rar, deci­di entre­meá-lo com regis­tros (cap­tu­ras de ima­gens) de pos­ta­gens que fiz nas redes sociais.

O que ini­ci­ou o “rede­moi­nho” é um fato que não pode ser ocul­ta­do : des­de 2013 vinha viven­do bas­tan­te inco­mo­da­do com o car­ro que pude­mos com­prar, às pres­sas, antes do nas­ci­men­to da Gabriela :

Car­ro ruim

Quan­to mais o tem­po pas­sa­va, mai­or a insa­tis­fa­ção e, com os defei­tos, os gas­tos e as pre­o­cu­pa­ções se multiplicavam :

Cebo­li­nha e óleo
Pior car­ro da minha vida

Até que, duran­te os pre­pa­ra­ti­vos para o ani­ver­sá­rio de dois anos de minha filha, o car­ro esta­va esta­ci­o­na­do em fren­te a casa de meu sogro e…

Módu­lo molhado

O cus­to de um módu­lo novo seria de qua­se 2000 reais, sen­do a solu­ção obti­da atra­vés da aqui­si­ção de um módu­lo usa­do que, soma­do à mão de obra, esfa­que­ou 1000 reais de nos­sas com­ba­li­das eco­no­mi­as. O lan­ter­nei­ro cola­bo­rou com 150 reais e, a des­pei­to da cer­te­za de ter sido ele o cau­sa­dor da con­di­ção desas­tro­sa, não quis cri­ar ain­da mais pro­ble­mas nes­sa situ­a­ção que já me tra­zia tan­to des­gos­to : tirei o car­ro da ofi­ci­na e…

Me livran­do da bomba !

Mui­tos dizi­am que, anun­ci­an­do e espe­ran­do, eu pode­ria rece­ber uma boa pro­pos­ta de com­pra­do­res par­ti­cu­la­res, mas a neces­si­da­de de um veí­cu­lo de trans­por­te fami­li­ar e apoio aos horá­ri­os inco­muns de nos­sos tra­ba­lhos não per­mi­tia tal luxo : as lojas de car­ro, em ple­na reces­são, ava­li­a­ram o veí­cu­lo em, no máxi­mo, 16.000 reais… e isso só em caso de tro­ca por algum outro de seus estoques !

E como eu expe­ri­men­tei car­ros… foi um ver­da­dei­ro suplí­cio ir tes­tan­do não ape­nas vári­os mode­los, mas tam­bém ver­sões de um mes­mo mode­lo (pois de ano para ano vari­am os dese­nhos dos pai­néis): o mais cha­to era atu­rar os ven­de­do­res que me tra­ta­vam como se eu fos­se algum trou­xa e tei­ma­vam em que­rer me enfi­ar em um car­ro que eu já sabia que não cabe­ria!! Pior ain­da foram as decep­ções com car­ros como o Fiat Idea (cabi­ne gran­de, lar­ga, mas um pai­nel que des­ce em dia­go­nal e não me per­mi­te sequer pisar no ace­le­ra­dor sem dor), o Ecos­port (volan­te pren­den­do no joe­lho), alguns mode­los de Civic (o teto ter­mi­na­va abai­xo da minha linha de visão e eu teria de diri­gir cur­va­do para fren­te), todas as vari­a­ções de Fox (espa­ço insu­fi­ci­en­te para as per­nas)… aí eu des­co­bri que os car­ros que me cabem com con­for­to cos­tu­mam cus­tar de assus­ta­do­res 50.000 para cima !

Enquan­to isso, a espo­sa, influ­en­ci­a­da por ami­gas, só fala­va em Renault e esta­va dis­pos­ta até a fazer um sacri­fí­cio con­jun­to para com­prar, por 42.000, um mode­lo 0 Km… só que eu entrei nos mode­los (Logan, San­de­ro) e, mes­mo caben­do, não sen­ti fir­me­za… a estru­tu­ra pare­cia frá­gil… depois fui saber que, assim como os Peu­ge­ot (que são fei­tos na mes­ma fábri­ca da Citro­en), esses car­ros fran­ce­ses não se adap­ta­ram tão per­fei­ta­men­te ao Brasil.

Seguia em minha tris­te­za quan­do, indo a pé bus­car minha filha na esco­la, resol­vi olhar uma peque­na loja de car­ros da Rua Ari­cu­ri e… fui apre­sen­ta­do ao Nis­san Sen­tra ! A estru­tu­ra con­sis­ten­te, o con­for­to do ban­co, a dinâ­mi­ca da car­ro­ce­ria, o câm­bio CVT… aqui­lo ali sim era um car­ro ! Pena que pelo mode­lo 2012 esta­vam pedin­do os mes­mo 42.000 do San­de­ro zero…

Defi­ni­do o obje­ti­vo, ini­ci­ou-se a bus­ca pela opor­tu­ni­da­de per­fei­ta… e a inter­net foi, sem dúvi­da algu­ma, uma pode­ro­sa fer­ra­men­ta nes­sa fase — Mer­ca­do Livre, OLX, iCar­ros, Web­mo­tors ! — onde pude pes­qui­sar uti­li­zan­do os mais diver­sos fil­tros, obten­do resul­ta­dos rele­van­tes, mas encon­tran­do tam­bém algu­mas arma­di­lhas como, por exem­plo, uma tal de “Jor­dai Veí­cu­los” que publi­ca anún­cio com um pre­ço e, che­gan­do lá, infor­mam que há neces­si­da­de de uma “peque­na entra­da”, sen­do que de “peque­na” não tem nada e cor­res­pon­de a qua­se 30% do valor anun­ci­a­do — no meu caso anun­ci­a­ram um Sen­tra por 35.000,00 e escon­de­ram a “peque­na entra­da” de 10.000,00 que dei­xa­va o valor final em absur­dos 45.000,00 !

Além da bus­ca, ain­da tive que enfren­tar a for­te nega­ti­vi­da­de da espo­sa, que sen­tia ver­go­nha até da bela apa­rên­cia do car­ro, que­ren­do algo mais “humil­de” e ale­gan­do argu­men­tos pífi­os como “o IPVA vai ser mui­to caro”… Ora bolas ! O impos­to é cobra­do de acor­do com o valor do veí­cu­lo e, por­tan­to, o que se paga­ria em um mal­di­to (sim, peguei rai­va!) e sim­ples San­de­ro zero seria mui­to mais do que por um Sen­tra Flex que, ape­sar de ain­da estar pro­cu­ran­do, cus­ta­ria menos de 35.000,00 !

Esta par­te da his­tó­ria já está fican­do mais lon­ga do que deve­ria, já que não é o foco do tex­to : des­co­bri um Sen­tra 2010 /​2011 na pró­pria Nis­san Dara de Duque de Caxi­as pelo exce­len­te valor de 32.000,00, porém eles ava­li­a­ram o Peu­ge­ot por ape­nas 13.000,00 na tro­ca, o que, após a qui­ta­ção do car­nê, dei­xa­ria ape­nas uns 8.000,00 como entra­da e pres­ta­ções bas­tan­te desa­fi­a­do­ras. Aca­bei sain­do dali e, com pres­sa para não per­der a ofer­ta, ven­den­do meu car­ro-cas­ti­go por 15.000,00 a uma outra agên­cia que me deu pou­co mais de 10.000,00 na mão e, ao invés de qui­tar, assu­miu o car­nê e se com­pro­me­teu a ir pagan­do as pres­ta­ções res­tan­tes até ven­der e, aí sim, quitar.

Por que me impor­tei em escre­ver toda essa his­tó­ria até aqui ? Para regis­trar que não tro­quei de car­ro por orgu­lho, que não esco­lhi um veí­cu­lo por vai­da­de, que não saí sim­ples­men­te gas­tan­do sem pes­qui­sar e que ten­tei, ao máxi­mo, ser pru­den­te em minha aquisição.

Parte 2 — Quebrando a tênue situação financeira

Já vi pes­so­as chei­as de fé e estu­pi­dez — geral­men­te mais estu­pi­dez que fé… — assu­min­do dívi­das com as quais nun­ca pode­ri­am arcar e ter­mi­nan­do que­bra­das e com o nome sujo na pra­ça por ter se base­a­do em uma conhe­ci­da pas­sa­gem bíblica :

Pos­so todas as coi­sas em Cris­to que me fortalece.

(Fili­pen­ses 4:13)

Vou tra­du­zir resu­mi­da­men­te : o tex­to NÃO É um incen­ti­vo para que você saia dan­do pas­sos mai­o­res que as per­nas e colo­can­do a mão onde seu cha­péu não alcan­ça na espe­ran­ça de que Deus vai ser obri­ga­do a armar algum mila­gre para livrar a sua cara das con­sequên­ci­as de sua vai­da­de igno­ran­te ! Sim, abso­lu­ta­men­te igno­ran­te, pois se você tives­se sim­ples­men­te lido o ver­so ante­ri­or a esse, pode­ria ter tido a chan­ce de com­pre­en­der que o ver­da­dei­ro cris­tão, a des­pei­to das difi­cul­da­des que pos­sam sobre­vir (e não por­que ele as tenha cri­a­do!), pre­ser­va­rá sua fé — aque­la ori­gi­nal que só se pode obter ao ouvir a Pala­vra de Deus… e não essa das dan­ci­nhas e das bar­ga­nhas — intacta !

Des­se modo, mes­mo ten­do sido refor­ma­do sob a ale­ga­ção de meu mal não ter ocor­ri­do em con­sequên­cia do ser­vi­ço e ganhar ape­nas 23 do sol­do de um 1º sar­gen­to, venho ten­tan­do andar de manei­ra pru­den­te e con­se­guin­do man­ter minha con­ta fechan­do os meses no zero des­de então, sen­do espe­ci­al­men­te mais fácil quan­do sur­gem espo­rá­di­cas opor­tu­ni­da­des de rea­li­zar algu­mas ati­vi­da­des onde apli­co meus conhe­ci­men­tos de lín­gua estrangeira.

É cla­ro que gas­tos ines­pe­ra­dos podem ocor­rer, mas, ain­da assim, atu­al­men­te tenho dívi­da a sal­dar com ape­nas uma pes­soa e, antes de fechar o negó­cio, fiz ques­tão de dar um jei­to de ir até ela e, sen­do paren­te, expor a neces­si­da­de da tro­ca urgen­te de auto­mó­vel, pois tenho a inten­ção de qui­tar meu emprés­ti­mo até o final des­se ano. De qual­quer for­ma, minha “urgên­cia”, ini­ci­a­da em junho, só come­çou a ser solu­ci­o­na­da no dia 29 de julho, quan­do pude colo­car as mãos no car­ro… e os regis­tros abai­xo dão uma ideia de como foi tudo :

Ten­do con­se­gui­do agen­dar a vis­to­ria de trans­fe­rên­cia para o dia 12 de agos­to, fui adqui­rin­do as peças de manu­ten­ção com con­fi­an­ça, pois havia sido con­vi­da­do por uma agên­cia para a qual já tra­ba­lhei diver­sas vezes como fre­e­lan­cer, des­de julho, para mais uma ati­vi­da­de, con­for­me reve­lo abaixo :

Só para cons­tar : eu esta­va dis­pos­to até a car­re­gar algu­mas cai­xas, mes­mo não ten­do recu­pe­ra­do ple­na­men­te a for­ça do braço.

Ten­do em vis­ta que, mes­mo aper­ta­do, tudo aca­ba­ria dan­do cer­to, celebrei :

Pois não foi que na sex­ta-fei­ra, 1408 e ime­di­a­ta­men­te antes do even­to, por pres­são do des­gra­ça­dís­si­mo gover­no bra­si­lei­ro atra­vés de seu minis­té­rio do tra­ba­lho, sur­giu a súbi­ta neces­si­da­de de que fos­se leva­da a car­tei­ra de tra­ba­lho até a agên­cia, pois a mes­ma cor­re­ria ris­co de pagar mul­tas caso algum de seus con­tra­ta­dos esti­ves­se em “situ­a­ção irre­gu­lar”. Isso gerou o seguin­te diá­lo­go e uma “pos­ta­gem desa­ba­fo” que pode até ter sido enig­má­ti­ca para alguns, mas, dian­te do que aca­bei de expor, se tor­na­rá bem fácil de entender.

A saber, Cari­na é minha espo­sa e gra­ças a ela eu tive a opor­tu­ni­da­de de conhe­cer e ingres­sar nes­se cir­cui­to de eventos.
Pagar impos­to…

E então… o que fazer ? Ao menos o car­ro já esta­va com a docu­men­ta­ção regu­la­ri­za­da e pron­to para aten­der nos­sas deman­das de tra­ba­lho, mas… que trabalho ?

Para ficar um pou­co mais dra­má­ti­co, a con­ta de luz ven­ceu no dia 21 de agos­to e dei­xou minha con­ta no limi­ar dos 4 dígi­tos ver­me­lhos. Ten­tei rever­ter a situ­a­ção ins­ta­lan­do uns Win­dows 10 e, que sur­pre­sa, pin­tou até a opor­tu­ni­da­de de regu­la­ri­zar uma decla­ra­ção de IR atra­sa­da (e, mes­mo com mul­ta, tinha direi­to a res­ti­tui­ção!), mas os três dígi­tos ain­da esta­vam bem ver­me­lhos no ban­co e isso teria um for­tís­si­mo impac­to no mês subsequente…

Parte 3 — Quando Me Vi Submerso e Envergonhado…

A par­tir de ago­ra come­ça a par­te pela qual deci­di escre­ver e docu­men­tar um tex­to tão lon­go. Tudo come­çou quan­do uma men­sa­gem bas­tan­te inco­mum foi envi­a­da duran­te a madrugada :

Acor­dei e me depa­rei com esse tex­to que pare­cia bom demais para ser ver­da­de. Ten­to ser cau­te­lo­so, evi­tan­do mis­tu­rar aber­ta­men­te as esta­ções de minha mili­tân­cia cris­tã com minha vida pes­so­al e, dian­te des­sas pala­vras que tra­ta­vam exa­ta­men­te sobre o assun­to que mais me inco­mo­da­va, deci­di dar uma res­pos­ta bem didá­ti­ca e cheia de precaução :

Notem que, mes­mo na melhor das hipó­te­ses, eu não che­guei, de fato, a crer que uma solu­ção ple­na pudes­se vir des­sa ofer­ta… tan­to que usei o ter­mo “ate­nu­an­do” ao invés de “solu­ci­o­nan­do”! O diá­lo­go foi con­cluí­do com uma promessa :

Estou acos­tu­ma­do às difi­cul­da­des, às solu­ções tra­ba­lho­sas, aos pro­ces­sos demo­ra­dos… já tão gas­to no sofri­men­to que che­go a não crer na pos­si­bi­li­da­de de que exis­ta algo sim­ples e dire­to aqui nes­sa ter­ra… con­fes­so : nem mes­mo de Deus eu espe­ra­va uma “solu­ção mais fácil”, pois Ele me tem per­mi­ti­do sobre­vi­ver um pou­co melhor ape­nas atra­vés das opor­tu­ni­da­des de trabalho.

E foi exa­ta­men­te duran­te um tra­ba­lho, na tar­de des­ta quin­ta-fei­ra, que acon­te­ceu o fato mais assom­bro­so e mais humi­lhan­te que o Senhor já me pro­por­ci­o­nou… e, mes­mo ago­ra, enquan­to rela­to o ocor­ri­do, não con­si­go dei­xar de me emo­ci­o­nar pro­fun­da­men­te : eu até já havia esque­ci­do da pro­mes­sa de aju­da — ain­da mais por já ter acon­te­ci­do de sur­gir gen­te que dizen­do que iria auxi­li­ar e nun­ca che­gou a fazê-lo — quan­do me che­ga a seguin­te mensagem :

Eu vi, sor­ri e, com a len­ti­dão da cone­xão, dei­xei a ima­gem do depó­si­to car­re­gan­do e fui resol­ver outras coi­sas. Espe­ra­va uns duzen­tos, tre­zen­tos reais… algo que pudes­se melho­rar, mas não sanar a fal­ta que o cachê de 1.200,00 esta­va fazendo…

Quan­do retor­nei e olhei para a foto, qua­se caí sen­ta­do no chão ! Foi (e ain­da é) impos­sí­vel con­ter as lágri­mas de ale­gria e ver­go­nha por haver duvi­da­do tão dis­pli­cen­te­men­te da pos­si­bi­li­da­de de ação de Deus :

Olhei de novo e de novo, pen­san­do que pudes­se ser uma pega­di­nha. Pri­mei­ro vi se o depó­si­to era em che­que (pois já vi mui­tas his­tó­ri­as de enga­nos com esse expe­di­en­te), mas esta­va lá : depó­si­to em dinhei­ro!! Ain­da incré­du­lo, aces­sei o ban­co vir­tu­al e vi minha con­ta com incrí­veis 4 dígi­tos no posi­ti­vo… e isso em ple­no final de mês ! Essa quan­tia me per­mi­tiu não ape­nas sair do ver­me­lho, mas cus­te­ar toda o com­bus­tí­vel do mês de agos­to e até a con­ta de luz !

Nun­ca, nin­guém — e isso em toda a minha vida — foi tão bene­vo­len­te e em momen­to tão opor­tu­no quan­to essa pes­soa de quem, base­a­do em Mateus 6:1 – 4, escon­do a iden­ti­da­de na sin­ce­ra inten­ção de que seja mui gran­di­o­sa­men­te recom­pen­sa­do pelo Pai que vê em secreto !

Conclusão

Isso foi, sem dúvi­da algu­ma, além de um alen­to, um impul­so para que eu pros­si­ga me dedi­can­do ao tra­ba­lho de pro­pa­gar a Ver­da­de aci­ma de tudo, pois quem move o sobre­na­tu­ral não somos nós, mas a von­ta­de do Senhor, no tem­po d’Ele !

Que ces­sem as ten­ta­ti­vas de subor­no ao Senhor, a falá­cia dos dízi­mos, a men­ti­ra das alte­ra­ções de esta­do de cons­ci­ên­cia, as fal­sas mar­chas espi­ri­tu­ais com fina­li­da­de exclu­si­va­men­te polí­ti­ca, os shows com músi­cas vazi­as… a reli­gi­o­si­da­de escra­vi­zan­te que lota as empre­sas ecle­siás­ti­cas e ser­ve prin­ci­pal­men­te para carac­te­ri­zar a apos­ta­sia : eis aí a pro­va, abso­lu­ta­men­te incon­tes­te, de que o Senhor ouve e aten­de a ora­ção daque­le que O bus­ca em espí­ri­to e em Ver­da­de, mes­mo que não faça par­te do cir­co mís­ti­co eso­té­ri­co das palha­ça­das gospel !

Ora, àque­le que é pode­ro­so para fazer tudo mui­to mais abun­dan­te­men­te além daqui­lo que pedi­mos ou pen­sa­mos, segun­do o poder que em nós ope­ra, A esse gló­ria na igre­ja, por Jesus Cris­to, em todas as gera­ções, para todo o sem­pre. Amém.

(Efé­si­os 3:20 – 21)
Me dá um “joi­nha”?
Gos­tou ? Me aju­de compartilhando…

Geovane Souza

Já fiz e faço tantas coisas que só criando um site para concentrar e apresentar essa variedade.

>
Creative Commons License
Except where otherwise noted, GeovaneSou, Eu Mesmo by Geovane Souza is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.