Rihanna, Jay Z, Rain Man, Mary Poppins

Os Mecanismos Malignos

E PORQUE MUITA GENTE NÃO VAI ASSISTIR

O ano era 2009 e eu, estático na cadeira, assisti a um dos documentários mais chocantes que jamais havia visto: Lenon Honor simplesmente jogou “The Workings of Evil” na cara de alguém que até então não havia se dado conta do quão minuciosa pode ser a manipulação de uma música “inocente” que, muito além das chamadas “mensagens subliminares”, é capaz de mostrar mensagens assustadoras de forma direta, sem sequer se preocupar em ocultar a sua fonte de inspiração…

Fiquei tão atordoado e entusiasmado que entrei em contato com ele e solicitei o script original para poder realizar a tradução e legendar toda a série para o português, coisa que fiz, quase ininterruptamente, em menos de dois dias.
Na sequência fui fazendo os ajustes de tempo e, conforme completava  10 minutos de vídeo, publicava logo no Youtube.

As 21 partes do documentário foram um sucesso estrondoso e isso, infelizmente, só durou até o momento em que os donos dos direitos autorais foram irredutíveis ao mandar remover o conteúdo sem sequer considerar a hipótese do “uso aceitável“: o objetivo nunca foi lucrar em cima de uma música de conteúdo tão sinistro, mas apenas apresentar uma análise minuciosa de tudo que se agrega a essa obra musical.
Fiquei triste, mas… deixei pra lá.

SENDO OBJETIVO

O ano é 2018 e acabei de decidir concentrar tudo o que produzi em um único site e acabei encontrando uma pasta com… “Os Mecanismos Malignos”!!!
É claro que fiquei muito querendo assistir tudo de novo, mas também quero poder tentar, de novo, compartilhar esse conhecimento aterrador com todos aqueles que se interessarem!

Cada arquivo original tinha quase 1Gb, mas estavam separados das legendas e, para evitar levar um bloqueio logo de cara, encontrei um outro site de vídeos que, inclusive, permite oferecer vídeos por assinatura.
Fiz meu registro gratuito e imediatamente já tive a primeira decepção: sem pagar, só se pode fazer upload de 500Mb por semana… ou seja, nem seria possível subir a primeira parte inteira com a qualidade original!

Abri meu conversor de mídia e reduzi o tamanho para 1/4 do original e, de quebra, mandei incorporar a legenda e e aproveitei para adicionar uma marca d’água.
Resultado:

Fiz o upload do arquivo e, sinceramente… até dá para assistir.
Vou disponibilizar aqui para que possam começar a entender o peso desse conhecimento, mas preciso falar bem sério com você, caro leitor: além de todo o trabalho e mão de obra, não vou ter condições de pagar para que vocês possam ver as outras partes e vou precisar de vossa colaboração.
A próxima imagem mostra o custo dos planos (em dólar):

Ora, ao contrário daqui do WordPress (onde vejo necessidade de adquirir o plano Business assim que possível), o plano “Plus” já seria bastante satisfatório, porém a cobrança não é de apenas sete dólares: eles cobram logo por um ano!

E, numa taxa de conversão de 4 reais para cada dólar, a brincadeira sai por, pelo menos, 336 reais!!
Isso está fora da minha realidade: não posso tirar comida da boca dos meus filhos…
Pensei em, na próxima semana, subir metade da segunda parte com qualidade boa e cobrar um “ingresso” – entre 5 e 10 reais doáveis a partir do menu que aparece ali, na barra lateral – para liberar a senha de acesso. Que tal?

Então, lembrando que faz bem seguir esse site e curtir essa e outras postagens, vou deixá-los com a primeira parte (com duração superior a uma hora, porém em baixa qualidade) d’Os Mecanismos Malignos e a missão de sugerir soluções – os comentários estão abertos no final da página! – para que esse impasse financeiro possa ser superado.
Fico aguardando vossas manifestações e que o Senhor Deus possa abençoá-los e tocar em vossos corações.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.