Momento de reflexão

Teóphilo, O Fracassado

Gostaria de dizer que meu nome é Teóphilo Noturno…
Mas se minha intenção é ser completamente sincero nessa apresentação, talvez eu deva começar assumindo que, sob uma perspectiva evangélica moderna, não passo do mais completo e retumbante fracasso!
Para essa gente que se sente compelida a seguir apenas os “grandes ganhadores de almas”, já começo admitindo que nunca, em oportunidade alguma, fui capaz de ganhar uma alma sequer… nenhuma!

Atordoante isso, não?
Mas talvez seja melhor oferecer uma explicação e nada melhor que, para isso, citar as palavras do próprio Senhor Jesus Cristo?

Continuar lendo “Teóphilo, O Fracassado”
Um sonho dos surdos oralizados

Cinema Surdo

MAIS FÁCIL QUE FAZER SESSÕES PARA BEBÊS!

Só quem verdadeiramente não é capaz de ouvir pode saber a gama de privações que nos exclui de atividades que tão banais e essenciais como ouvir música, dançar… há casos em que nem mesmo recursos tecnológicos — como as próteses auditivas e os implantes cocleares — são suficientes para garantir a plena acessibilidade a coisas que, sem dúvida, poderiam promover bem estar e, consequentemente, a saúde psicológica de quem foi acometido pela surdez.

Ao contrário de minha última postagem e apesar do título remeter diretamente à clássica canção “Cinema Mudo”, dos Paralamas do Sucesso (que eu parafrasearia, na versão surda, como “Microfones em Recesso”), não vou falar de música hoje, mas de outra dentre minhas atividades preferidas nesta existência: ir ao cinema!

Continuar lendo “Cinema Surdo”
Versão de "Toda Forma de Poder"

Toda Forma De Surdez

ENGENHEIRO DO “OUVE AÍ”

Hoje acordei inesperadamente inspirado e pela manhã, enquanto a podóloga ia removendo com britadeira os resíduos fósseis encravados, eu ia tentando encaixar tudo o que vivenciei desde o meu ingresso nos grupos de surdez das redes sociais no clássico “Toda Forma de Poder” dos Engenheiros do Hawaii:

Eu presto atenção no que eles dizem
e sem aparelho eu ouço nada
Iéié

Continuar lendo “Toda Forma De Surdez”
Aventuras de Férias

Desconcertante

UMA CURTA HISTÓRIA SOBRE O FLUXO DA BONDADE

Ontem fomos ao jardim zoológico.
Eu, esposa e duas crianças… de trem. No verão infernal do Rio de Janeiro.
Fiquei muito contente porque o ar-condicionado do trem estava funcionando, mas o que me encantou foi a educação de quem, ao me ver com o menino de um ano no colo… cedeu o lugar!

Sim, eram quase 10 horas da manhã e fomos confortavelmente sentados: não tenho uma vírgula a reclamar do serviço prestado pela Supervia, tanto na ida quanto na volta… inclusive um episódio desconcertante ocorreu dentro do trem, bem no final da aventura, e teve consequências didáticas que, espero, fiquem marcadas em meu coração para sempre.
Vou contar…

Continuar lendo “Desconcertante”
Economizando mais de R$ 1.000,00

Refém Rebelde

INCLUSÃO TECNOLÓGICA DE SURDOS: DOR E DELÍCIA NUMA INDÚSTRIA DESUMANA

Há pouco mais de um mês passei pelo infortúnio de uma maior degradação em minha audição e isso me tornou ainda mais dependente de minhas próteses auditivas, particularmente para conseguir realizar telefonemas e ter acesso aos recados de voz, bastante comuns em aplicativos como o Messenger e o WhatsApp.

Antes disso minha surdez era classificada apenas como “moderada” e confesso que não sabia o quanto isso, apesar de ruim, era “bom”: às vezes até podia me dar ao luxo de realizar atividades sem usar os aparelhos, pois a sensação era (apenas) a de estar com um travesseiro ao redor da cabeça e, mesmo com os sons abafados e as vozes incompreensíveis, os sons do ambiente eram distintos… especial e prazerosamente a música.
Agora nem com grande esforço sou capaz de ouvir minha própria voz, respiração ou pulsação, quanto mais a maior parte do que soa no ambiente!

Continuar lendo “Refém Rebelde”