Aventuras de Férias

Desconcertante

UMA CURTA HISTÓRIA SOBRE O FLUXO DA BONDADE

Ontem fomos ao jardim zoológico.
Eu, esposa e duas crianças… de trem. No verão infernal do Rio de Janeiro.
Fiquei muito contente porque o ar-condicionado do trem estava funcionando, mas o que me encantou foi a educação de quem, ao me ver com o menino de um ano no colo… cedeu o lugar!

Sim, eram quase 10 horas da manhã e fomos confortavelmente sentados: não tenho uma vírgula a reclamar do serviço prestado pela Supervia, tanto na ida quanto na volta… inclusive um episódio desconcertante ocorreu dentro do trem, bem no final da aventura, e teve consequências didáticas que, espero, fiquem marcadas em meu coração para sempre.
Vou contar…

Continuar lendo “Desconcertante”
Economizando mais de R$ 1.000,00

Refém Rebelde

INCLUSÃO TECNOLÓGICA DE SURDOS: DOR E DELÍCIA NUMA INDÚSTRIA DESUMANA

Há pouco mais de um mês passei pelo infortúnio de uma maior degradação em minha audição e isso me tornou ainda mais dependente de minhas próteses auditivas, particularmente para conseguir realizar telefonemas e ter acesso aos recados de voz, bastante comuns em aplicativos como o Messenger e o WhatsApp.

Antes disso minha surdez era classificada apenas como “moderada” e confesso que não sabia o quanto isso, apesar de ruim, era “bom”: às vezes até podia me dar ao luxo de realizar atividades sem usar os aparelhos, pois a sensação era (apenas) a de estar com um travesseiro ao redor da cabeça e, mesmo com os sons abafados e as vozes incompreensíveis, os sons do ambiente eram distintos… especial e prazerosamente a música.
Agora nem com grande esforço sou capaz de ouvir minha própria voz, respiração ou pulsação, quanto mais a maior parte do que soa no ambiente!

Continuar lendo “Refém Rebelde”

Se Lembra Quando Era Só Brincadeira?

Você, quando era criança, já tapou os ouvidos para experimentar como seria ser surdo ou qual a sensação de não ouvir nada?
Já usou isso para, numa conversa chata, fazer pirraça dizendo “não ouço nada”?

Agora estou habilitado — ou desabilitado? — a contar que mão no ouvido não chega nem perto da sensação absolutamente claustrofóbica de não mais ouvir sua própria respiração, pulsação… nem mesmo a própria voz!!
Pois não foi que dia 04 de novembro, vai fazer um mês depois de amanhã, acabei sendo premiado com um aprofundamento nessa experiência?

Continuar lendo “Se Lembra Quando Era Só Brincadeira?”

Porque Estou Desistindo Do Medium

E COMO A SURDEZ ME LEVOU A ISSO

Há um tripé que sustenta a existência do homem: profissão, família e fé.
Houve um tempo em que a estrutura da família que construí quase foi abalada por conta da extrema pressão psicológica que estava sofrendo no âmbito profissional e me submergiu em um transtorno ansioso depressivo com eventuais episódios de síndrome de pânico.

Continuar lendo “Porque Estou Desistindo Do Medium”

Inimigos & Obstáculos

PAPÉIS DISTINTOS QUE MUITA GENTE CONFUNDE

Hoje, fazendo 120 agachamentos na academia, me dei conta que esse estava sendo o exercício mais difícil desta minha série… e isso me levou a ficar pensando: se eu faço o mesmo número de repetições carregando 150Kg no Leg Press, por que o desgaste aqui é tão maior?
Foi então que, a esta altura da vida, tive o que chamam de “insight”:

EU SOU MEU MAIOR OBSTÁCULO!

Continuar lendo “Inimigos & Obstáculos”

Dias Estranhos

CONSTATAÇÕES NUM SUPERMERCADO

Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes.

Efésios 6:13

Passamos, aqui no Brasil, por dias incomuns.
Estamos reencontrando uma escassez de coisas como não víamos há mais de 30 anos e muitos viventes sequer tiveram experiências parecidas em suas existências.
Sem generalizar, mas falando da maioria: temos agora uma geração de “corpos sarados” preenchidos por almas flácidas e envenenadas!

Continuar lendo “Dias Estranhos”

O Circunvoltear da Humanidade

… ACASO NÃO SOMOS HOMENS?

Não caminharás com quatro patas, essa é a Lei.
Não sorverás a bebida, essa é a Lei.
Não comerás carne nem peixe, essa é a Lei.
Não caçarás outros homens, essa é a Lei… acaso não somos homens?

A Ilha do Dr. Moreau — H. G. Wells (1896)
Continuar lendo “O Circunvoltear da Humanidade”
A curva chegou!

A Balada do Violento

CHEGOU A CURVA ONDE EU IA TE PEGAR…

Não viu nada especial nela, mas foi em frente
Casou porque era normal casar
Era um xucro sem respeito… nem pelo próprio matrimônio
Foi pondo filhos no mundo porque a programação da TV era chata quando não estava passando futebol
O tempo foi majorando o incômodo dos tantos percalços que atrapalhavam sua tranquilidade
As crianças, inocentes flagelos, eram motivo de discussões vulcânicas onde o sangue pulsava na garganta
Até que um dia, por um motivo bobo como um copo de cerveja quebrado pela filha mais velha (que nem tinha cinco anos), perdeu as estribeiras e a mulher pulou na frente para impedir que espancasse a criança… e acabou ela própria sendo o saco de pancadas aquela noite.

Continuar lendo “A Balada do Violento”