Providência 2

QUANDO A ESMOLA É DEMAIS…

Ninguém deve se lembrar da pirraça — só essa palavra mesmo, PIRRAÇA, coisa bem de criança, para descrever — que cometi no dia 14 de agosto de 2015… acho que só mesmo a própria postagem para deixar bem clara a virada que vai acontecer no decorrer desse relato:

Eu, então com 42 anos, estava tão acostumado com a relativa estabilidade financeira do país que contava com o valor do dólar para fechar um negócio milionário e me tornar diretor comercial de uma empresa que fornecia equipamentos de geração de energia para outras (grandes) empresas, mas, pouquíssimos dias depois, a nação começou a sentir que algo ruim estava prestes a ocorrer e o dólar, base de cálculo dos meus planos, simplesmente… disparou!

Isso interrompeu toda a negociação que vinha fluindo… na verdade isso foi um verdadeiro balde d’água fria e destruiu minhas aspirações roceiras de ir morar com a família num sítio com nascente e internet via satélite em Cachoeiras do Macacu (… isso porque ainda não havia visitado Campos do Jordão)!
Me permita uma citação bíblica antes de prosseguir?

O coração do homem planeja o seu caminho, mas o Senhor lhe dirige os passo.

Provérbios 16:9

Não só minhas expectativas de tranquilidade financeiras foram varridas, mas a sucessão dos fatos revelou que os atos corruptos do desgoverno conduziram toda a nação a uma situação crítica, marcada por contenção dos gastos empresariais (inclusive no setor de eventos) e aumento alarmante do desemprego.
Não faço desfeita aos 20 anos que passei na Força Aérea Brasileira, pois tudo o que tenho — de bom e DE RUIM — é consequência dessa relação e, numa situação de desespero, ao menos algumas contas meu soldo depauperado de reformado consegue cobrir, mas deixo dúvidas que o mundo dos eventos é um “salva-vidas” extremamente conveniente e, por que não dizer, me proporciona um nível de realização e satisfação pessoal que nunca pude provar como militar… se eu não precisasse tanto de dinheiro, acho que faria eventos até de graça!

Mas, voltando a falar das dificuldades da vida sendo ampliadas pela podridão generalizada das ideologias vermelhas, ocorreu uma escassez incomum de eventos desde o último trimestre de 2015 que me levou até a planejar uma saída do país para virar limpador de piscinas ou carregador de mala em aeroporto… e esse início de 2016 foi ainda mais negro: nem meia dúzia de eventos agendados e a necessidade de pedir empréstimos pessoais fizeram com que minhas entranhas ardessem de tanta ansiedade e meu sono, antes tranquilo, fosse embora!
Saí lançando currículos pela internet, mas sem muita esperança, pois apesar de me destacar pela formação técnica e prática, a falta de certificações se revelava como uma barreira para maiores aspirações e a equação era difícil de solucionar: como free-lancer funcionava, mas me registrar para trabalhar por um salário intermediário seria, no final das contas e por ingressar numa alíquota superior de tributação, praticamente o mesmo que pagar para trabalhar…

A REVOLUÇÃO

Aconteceu no dia 16 de março de 2016: através de um telefonema que ocorreu enquanto fazia um receptivo no Galeão: alguém viu parte — atenção ao detalhe: PARTE! — de meu currículo e achou que eu teria condições de estar presente numa entrevista para uma vaga de “adjunto” (confesso: nem prestei atenção na hora) e queriam saber qual salário eu queria ganhar… HEIN?!?!?
Ora bolas, sendo free-lancer por mais de cinco anos eu não tinha absolutamente noção alguma de que salário pedir nem saberia o quanto cobrar por um mês ininterrupto de atuação como coordenador em um evento, mas… eu sabia mais ou menos o quanto ganha um suboficial da FAB e foi aí que eu mirei, pensando que iriam achar exorbitante.
Sabem o que aconteceu?
Disseram que para aquela função o salário era aquele valor MAIS QUINHENTOS REAIS… e me convidaram para a entrevista!!

Aí me dei conta do segundo problema: a partir do dia seguinte (e pelos próximos 3 dias) eu estaria trabalhando no Congresso Mundial de Cirurgia Estética e de forma alguma conseguiria sair do Windsor Barra para fazer uma entrevista no Centro do Rio de Janeiro… fazer isso implicaria em perder o evento inteiro, ou seja, ter um prejuízo de mais de 600 reais apenas para arriscar algo que eu nem sabia se valeria a pena.
Resolvi ser sincero e contar sobre meu compromisso e a resposta foi: te entrevistaremos por Skype!

No dia seguinte, no horário combinado, lá estava eu na ponte que liga o Windsor Barra ao Windsor Oceânico — e por isso devo eternos agradecimentos à graciosidade de Hind Gazale, minha coordenadora naquele evento — para receber a chamada e descobrir que eles nem sabiam que eu havia coordenado o receptivo dos bispos na Jornada Mundial da Juventude, muito menos desconfiavam que fui o produtor e coordenador de transportes no 1º Fórum Médico Franco Brasileiro da Fondation L’Académie de Medécine… eram tantas informações que me solicitaram não apenas o reenvio do currículo, mas a adição descritiva de alguns desses eventos em minha “ficha online” — coisa que fiz ainda aquela noite — e, por fim, solicitaram que eu aguardasse e providenciasse a…

CARTEIRA DE TRABALHO

Confesso que ainda não tinha me “caído a ficha” de como tudo aquilo vinha acontecendo num ritmo frenético, mas a proposta de trabalho requisitava que eu estivesse trabalhando já no dia 11 de abril e isso seria impossível sem a tal CTPS, ainda mais que até agora não me convenci da validade das contribuições ao INSS e aos sindicatos, mas… mesmo assim fui tentar agendar uma vaga para dar início ao processo de obtenção do documento: não havia vaga em lugar algum do município do Rio de Janeiro e a única disponível era em Nova Friburgo, no dia 5 de abril!!

Já ia me conformando em perder a oportunidade, mas então chegou algo que mexeu comigo, que despertou de vez meu interesse… que me fez ter disposição de ir até o Ministério do Trabalho com o papel do agendamento na mão e pedir por algum tipo de auxílio ou quebra de protocolo. Vejam vocês:

Contei o caso à recepcionista sabendo que o “não” já era meu mesmo… qualquer coisa diferente já seria lucro!
Ela me mandou sentar e esperar e confesso que estava pronto para passar umas duas horas ali, mofando… só que em menos de dez minutos ela voltou, me chamou e disse para ir lá no dia seguinte, quarta, véspera de feriado da Paixão, às 16:30h, para resolver a questão!

Fui, no dia seguinte, com esposa e filha à tiracolo, adorando encontrar a cidade meio esvaziada, com várias vagas para estacionar em frente ao Ministério, ops… Comando da Aeronáutica: era uma sensação estranha demais, pois parecia que tudo estava ali só me esperando de tão perfeito!
Levei a papelada para verificação (e a atendente descobriu até que tinha caído um selo de minha certidão de casamento — maldita cola velha ressecada — e me alertou para resolver isso, mas acabou “não vendo” isso, pois minha esposa estava ali fora mesmo!) e registraram minha foto… e na saída fui me assegurar:
 — Agora é só esperar ficar pronta, não é? São cinco dias úteis??
 — Não! Segunda-feira mesmo pode passar aqui e pegar!

Meu 1º Emprego!?

E, desse jeito, o Ministério do Trabalho destruiu minhas expectativas de falar o mínimo de mal de sua organização e funcionamento:

ENFIM…

A despeito da crise e do desemprego que são reais e se alastram nesse país, eu fui pego praticamente sem querer e empregado, com o salário até um pouco maior do que eu pedi devido aos benefícios, tendo o contrato temporário vigente até o final de agosto…

Isso é surreal, isso é impossível… isso, meus queridos, é o mover de Deus: só Ele tem o poder de fazer o que quiser, quando quiser… do jeito que quiser: reverter o fluxo das marés, andar sobre as águas… prover recursos durante a crise!

Ele não me quis para diretor de multinacional, mas me deu uma gerência de eventos culturais no Comitê Olímpico… e agora cabe a mim honrar a Graça recebida, estudar, aprender e exercer a função — que até agora ainda não entendi direito o que é — com entusiasmo, profissionalismo e o máximo de competência possível, pois se até aqui foi desse modo, tenho de confiar que Ele também já está cuidando de tudo o mais que vem pela frente!

E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.

Romanos 8:28

Se você não ama… o problema é seu e pode ter certeza de que não sou eu quem vai ficar enchendo sua cabeça tentando te convencer da minha fé!

Agora vou dormir que amanhã bem cedo tem aula de espanhol: obrigado pela paciência de ler isso tudo!!

QUEM FALA O QUE QUER...