Namastê

O DEUS QUE HABITA EM MIM QUER TE FALAR UMA COISA…

E , por isso, essa análise, criada com intenção puramente didática, possa acabar sendo revestida de um tom mais pessoal, a despeito de não possuir um destinatário específico.
Bem… na verdade até tem:

ESSE É UM TEXTO ESCRITO EXCLUSIVAMENTE
PARA CRISTÃOS
QUE CREEM NA BÍBLIA

Só que, muito provavelmente, as pessoas de outras religiões vão acabar lendo e, sem entender tal restrição, vão querer começar algum “mimimi” que, consequentemente, desde já previno, será solenemente ignorado, pois não cabe reinterpretação nesse texto… nem para ser simpático!

esse é um texto escrito exclusivamente para cristãos que creem na Bíblia, só que muito provavelmente as pessoas de outras religiões vão acabar lendo e, sem entender tal restrição, vão querer começar algum “mimimi” que, consequentemente, desde já previno, será solenemente ignorado, pois não cabe reinterpretação nesse texto… nem para ser simpático!

Anunciai, e chegai-vos, e tomai conselho todos juntos;
Quem fez ouvir isto desde a antiguidade?
Quem desde então o anunciou?
Porventura não sou eu, o Senhor?
POIS NÃO HÁ OUTRO DEUS SENÃO EU;
DEUS JUSTO E SALVADOR NÃO HÁ ALÉM DE MIM.

Isaías 45:21

Lembro bem da primeira vez que fui cumprimentado com essa expressão — “Namastê” — e fiquei, por não haver entendido, sem reação: tinha apenas dezoito anos e ainda estava bem longe de ter uma atitude minimamente teológica.
Era uma menina linda falando e eu queria muito ser simpático, por isso sorri, aceitei e — O Senhor me perdoe! — respondi de volta com a mesma palavra…
Foi um convívio curto — ela rabiscou com caneta uma de minhas revistas!
Eu a tive por selvagem, ela me considerou antipático… e, após umas duas semanas usando, essa expressão idiota retornou para o limbo de onde veio.

Dezessete anos depois, em 2009, tive um “déjà vu” quando alguém, do nada, me mandou um “namastê” no meio da testa!
Temi que fosse um outro terrorista rabiscador de revistas, mas era apenas um telespectador da novela “Caminho das Índias” se achando mais moderno, inteligente e interessante ao me cumprimentar daquela forma.
Pelo trauma ou pela dúvida, respondi com um seco “bom dia”.

Nessa época eu já era Teóphilo e desconsiderei a hipótese (totalmente ridícula e absurda) de Deus estar precisando tanto de autoestima a ponto de cumprimentar-se a si próprio… por isso, portador profissional de uma pulga atrás da orelha, fui pesquisar.

SIGNIFICADO

Tendo suas origens no sânscrito — língua utilizada no Nepal e na Índia — pode significar “eu me curvo diante de você”, “minha atenção e respeito a você”, mas a “cereja do bolo” — ou seja, o significado preferido que as pessoas dão a essa expressão — é

O DEUS QUE HABITA EM MIM SAÚDA O DEUS QUE HABITA EM VOCÊ

Isso pode ser facilmente comprovado em publicações de sites esotéricos como o “Núcleo de Estudos Espirituais Mestres de Luz” ou o texto moderninho e politicamente correto que Ruth Manus publicou no Estadão, mas também é interessante ver a paixão e a pretensa superioridade — disfarçada e chamada de humildade — na explicação dada pelo ator Miguel Falabella (link para o vídeo está abaixo):

https://globoplay.globo.com/v/4350296/

Enfim, lendo e vendo tudo isso fica parecendo o cumprimento mais humilde a amável do mundo, mas infelizmente meu papel aqui é dizer que nesta simples e aparentemente amistosa palavra está contida uma HERESIA ABOMINÁVEL!

Olhai para mim, e sereis salvos, vós, todos os termos da terra;
PORQUE EU SOU DEUS, E NÃO HÁ OUTRO.

Isaías 45:22

Infelizmente esse é o tipo de conflito onde uma coisa que (apenas se) PARECE BOA vai totalmente contra todas as recomendações deixadas por Deus através de Sua Palavra: se você diz ser cristão, então NUNCA, em hipótese alguma, deveria usar tal expressão, pois o Deus que habita em você é COMPLETAMENTE INCOMPATÍVEL com essa pretensão politicamente correta de apaziguar a humanidade nivelando tudo por baixo!
Acho que devo amparar meu argumento com uma “rajada curta” de referências, inicialmente veterotestamentárias:

Não terás outros deuses diante de mim.
Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra.
NÃO TE ENCURVARÁS A ELAS nem as servirás;
porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam.

Êxodo 20:3–5 / Deuteronômio 5:7–9

NÃO TE ENCURVARÁS DIANTE DOS SEUS DEUSES,
nem os servirás,
nem farás conforme às suas obras;
antes os destruirás totalmente,
e quebrarás de todo as suas estátuas.

Êxodo 23:24

Para que não entreis no meio destas nações que ainda ficam convosco;
e DOS NOMES DE SEUS DEUSES NÃO FAÇAIS MENÇÃO,
nem por eles façais jurar,
nem os sirvais,
NEM A ELES VOS INCLINEIS.

Josué 23:7

Ora, se ao servo é expressamente proibido que faça reverência, referência ou sequer se incline a outros deuses, fica meio óbvio que o Senhor Deus NUNCA saudaria ou Se curvaria perante qualquer outro suposto “deus”… — seja qual for a razão inventada: simpatia, reverência ou cumprimento!
O termo “zeloso”, que aparece na primeira passagem transcrita, também significa “ciumento”.
Vejo pessoas que, por temer os ciúmes de seu cônjuge, sequer olham para o lado quando saem pela rua: sem sorrisos, sem conversas desnecessárias, sem gracejos… mal olham para os lados e chegam a nem fitar outras pessoas nos olhos!
Mas pelo Senhor Deus?
Parece que é mais fácil traí-lO…
Basta uma emissora, pestilenta e blasfema contumaz, tramar um enredo de novela que torne em modinha (pretensamente sofisticada) a ofensiva desobediência… que (quase) todo mundo entra na onda no “namastê”!

O argumento antropocêntrico não é ruim e, como prova, vou transcrever dois parágrafos:

Tenho muita dificuldade de entender a ideia de que algum Deus possa ditar atos de marginalização, de agressão, quiçá de morte.
Isso tem muito mais cara de homens, de governos e de igrejas do que de Deus.
Não conheço os Deuses que habitam as outras pessoas, mas APOSTARIA ALTO que Deus nenhum quereria isso.
(…)
Difícil imaginar que rumo o mundo está tomando.
Difícil aceitar nossa impotência, nossa vulnerabilidade, nossas mãos atadas.
Mas deveríamos parar de tentar culpar os Deuses.
Essa brutalidade toda não tem a ver com eles.
Essa brutalidade é exclusividade dos homens.
Homens esses que aceitam cada vez menos o Deus que habita no outro, seja ele qual for, e, em nome dessa intolerância se mata e se morre, no oriente e no ocidente, cristãos e muçulmanos, civis e militares.
Que tristeza.
Deus nenhum gostaria de ver isso.

Ruth Manus n’O Estadão

Tão pacifista, tão humano… tão FALACIOSO!
Fora toda a confusão típica dos que não são capazes de discernir entre “igrejas” (entidades eclesiásticas) e Igreja (corpo de Cristo), são palavras doces capazes de convencer quem não tem convicção da existência de um Único Criador Poderoso e nem é capaz de crer na Palavra inspirada por Ele e que, sem ser subvertida, não se presta a servir a esta ou àquela empreja no curso da história.
Intenções de paz que ignoram a realidade espiritual e o destino profético deste mundo, soando como se fosse possível ao ser humano tomar em suas mãos e anular todo o plano eterno de salvação ao conciliar, exclusivamente por sua boa vontade, Deus e os demônios.
Sim, agora já é hora de começar a falar a verdade sem rodeios: demônios.

IDENTIDADES

Nas eras primordiais, onde apenas havia Israel (que, teoricamente, deveria servir apenas a Deus) e as “outras nações” (gentios, que tomavam qualquer outra coisa e a serviam como seu deus), foi dada uma definição que foi revalidada pelo apóstolo Paulo e permanece válida até os dias de hoje:

Antes digo que as coisas que os gentios sacrificam, as sacrificam aos demônios, e não a Deus.
E NÃO QUERO QUE SEJAIS PARTICIPANTES COM OS DEMÔNIOS.
NÃO PODEIS BEBER O CÁLICE DO SENHOR E O CÁLICE DOS DEMÔNIOS;
NÃO PODEIS SER PARTICIPANTES DA MESA DO SENHOR E DA MESA DOS DEMÔNIOS.

1 Coríntios 10:20–21

Quando a autora registra que “apostaria alto” em um pacifismo inerte em nome de Deus, apenas demonstra sua completa ignorância acerca do Criador e, pior que isso, coloca-se a si própria no papel d’Ele, tomando, a partir daí, decisões e resoluções cheias de boa vontade, mas… absolutamente desprovidas de Deus!
Ela não é exceção.
Ela está fazendo o que a maioria faz, especialmente alguns “cristãos” que, mesmo tendo a obrigação de conhecer, renegam a Palavra sob o pretexto de “ganhar almas”… só não se sabe para qual deus.

Sim, há outro detalhe bem importante e também ignorado por muitos: “deus” não é nome!
Qualquer um ou qualquer coisa pode assumir o papel de deus, pois essa palavra designa apenas uma função: há quem tenha o deus cachorro, há os que têm o deus umbigo enquanto outros têm o deus dinheiro governando suas vidas e, como mostra a passagem de 1ª Coríntios transcrita acima, existem multidões que escolhem os próprios demônios para que sejam seus deuses!
O verdadeiro e único Criador também é o verdadeiro e único Deus e, inspirando homens através dos tempos, deixou registradas suas recomendações:

O Senhor teu Deus temerás e a ele servirás, e pelo seu nome jurarás.
NÃO SEGUIREIS OUTROS DEUSES,
OS DEUSES DOS POVOS QUE HOUVER AO REDOR DE VÓS;
Porque o SENHOR teu Deus é um Deus zeloso no meio de ti,
para que a ira do SENHOR teu Deus se não acenda contra ti e te destrua de sobre a face da terra.

Deuteronômio 6:13–15

Porque grande é o Senhor,
e mui digno de louvor,
e mais temível é do que todos os deuses.
Porque TODOS OS DEUSES DOS POVOS SÃO ÍDOLOS;
porém O SENHOR FEZ OS CÉUS.

1 Crônicas 16:25–26

Mas, se alguém ama a Deus, esse é conhecido dele.
Assim que, quanto ao comer das coisas sacrificadas aos ídolos, sabemos que o ídolo nada é no mundo, e que não há outro Deus, senão um só.
Porque, AINDA QUE HAJA TAMBÉM ALGUNS QUE SE CHAMEM DEUSES, quer no céu quer na terra (COMO HÁ MUITOS DEUSES E MUITOS SENHORES),
Todavia PARA NÓS HÁ UM SÓ DEUS, O PAI, DE QUEM É TUDO e para quem nós vivemos;
e um só Senhor, Jesus Cristo,
pelo qual são todas as coisas, e nós por ele.

1 Coríntios 8:3–6

As criaturas, por mais poderosas que nos pareçam (isso inclui a natureza), não podem suplantar o lugar do Criador!
Não vi necessidade de transcrever as muitas passagens veterotestamentárias onde há instruções inequívocas acerca da destruição de imagens, altares, povos e até familiares que sirvam a outros deuses: cronologicamente falando, Cristo cumpriu a Lei e nos poupou dessas tarefas absolutamente desagradáveis e impopulares, deixando para que sejam executadas apenas no tempo certo.

Mas Jesus Cristo não é o “bonzinho mor”?!? O cara pacifista que ama todo mundo e aceita tudo em nome do amor?
Bem… é isso que a estrutura educacional e, especialmente, a midiática faz questão de apresentar e reforçar a cada oportunidade, mas as coisas não são bem assim.
O Senhor Jesus Cristo também teve algumas de suas palavras registradas de modo a não deixar dúvidas sobre sua posição nesse assunto:

Disse-lhe Jesus:
Eu sou o caminho, e a verdade e a vida;
NINGUÉM VEM AO PAI, SENÃO POR MIM.

João 14:6

Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus.
Mas qualquer que me negar diante dos homens, eu o negarei também diante de meu Pai, que está nos céus.
NÃO CUIDEIS QUE VIM TRAZER A PAZ À TERRA; NÃO VIM TRAZER PAZ, MAS ESPADA;
Porque eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra;
E assim os inimigos do homem serão os seus familiares.
Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim;
e quem ama o filho ou a filha mais do que a mim não é digno de mim.
E quem não toma a sua cruz, e não segue após mim, não é digno de mim.
Quem achar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a sua vida, por amor de mim, achá-la-á.

Mateus 10:32–39

Não se assuste, mas o Senhor Jesus Cristo nunca foi o bonachão inerte que muitos, especialmente os de esquerda, sempre estão querendo usar em seus discursos inclusivos e igualitários.
Fica bastante claro, na primeira passagem destacada acima, que Ele não se curvaria, nem por educação, diante de qualquer outro que se apresente como via auxiliar de acesso ao Pai… nem tolerante ele seria (e a segunda passagem é bem explícita, justamente para demonstrar isso)!
Na verdade, a falácia de que Cristo seria tolerante e até mesmo incentivador de práticas pecaminosas, quaisquer que sejam elas, só engana quem apenas conhece a Palavra de Deus por ter ouvido fábulas sem nunca ter lido os episódios até o ponto onde o Senhor diz “vai, vende tudo o que tens” ou “negue-se a si mesmo” ou ainda “vá e não pequeis mais”…
Enfim, não importa quantos caminhos existam e nos sejam apresentados: Cristo foi o único, em toda a história da humanidade, que (numa linguagem figurada) teve a coragem de bater no próprio peito e se assumir como O ÚNICO, sendo absolutamente intolerante nessa questão, desprezando e desconsiderando completamente quaisquer outras possibilidades e destruindo qualquer tentativa de ecumenismo ou diálogo inter-religioso.

GUERRAS SECRETAS

Bem próximo à minha casa há uma esquina com nada menos que 5 – isso mesmo CINCO! – empresas eclesiásticas que oferecem produtos no sabor “evangélico”.
Já haviam somado 7, mas duas – uma que funcionava onde fora um boteco fedorento e outra que durante o dia operava como mecânica de automóveis – fecharam as portas… e foi justamente essas falências que me levaram a constatar que há algo de completamente errado com o conceito atual de igreja:

  • Se a Igreja é o corpo de Cristo, qual a necessidade de termos cinco, praticamente lado a lado, disputando fiéis?
  • Se o evangelho prega o compartilhamento de nossos recursos com os que estão passando maior necessidade, por que as empresas que encerraram suas atividades não receberam ajuda das que ainda funcionam antes de fechar? Não estavam elas promovendo o mesmo evangelho?!?

Ora, caro leitor, o tempo da apostasia já se faz presente é não é mais sensato fecharmos os olhos para a realidade: vender um produto invisível através de uma teatralização ritual é uma forma bastante fácil de ganhar dinheiro… não é mesmo?
No final das contas, você nem precisa acreditar naquilo que esta representando: basta se vestir de determinado modo, inserir algumas expressões pasteurizadas em seu vernáculo cotidiano e – voilà! – eis aqui um evangélico!
Se ele alugar o espaço onde era aquele boteco fedido ou colocar um monte de cadeiras sob a sujeira de óleo e fuligem que resta sob o chão de uma oficina mecânica… a “mágica” fica mais forte e a criatura se reveste com o título de “paxtô” e passa ter direito a arrecadar, nem que empregue técnicas de estelionato, dízimos e ofertas de suas “ovelhas”!
Afinal, Deus é mesmo poderoso e pode atuar onde, quando e da forma que Lhe convier, mas se o milagre nunca chegar, a culpa vai ser sempre do fiel que, a despeito das muitas “sementes” plantadas, não teve fé suficiente…

Enfim, aquela esquina me fez chegar a uma questão que perdura: se são todos cristãos servindo a um mesmo Deus… por que não se unem para, de acordo com a Bíblia, definir uma doutrina comum e, através disso, promover a pregação do evangelho com base na Palavra de Deus?
Ou estariam, cada estabelecimento daqueles, promovendo seu próprio deus… sempre faminto por demonstrações financeiras de fé (que estranhamente só chegam até o bolso dos pastores) e eternamente em competição com o deus da empreja ao lado?

Isso sim é extremamente deplorável, pois se até os “deuses” deste mundo são capazes de se cumprimentar, o “deuxxxx” único pregado naqueles muquifos atua contra si próprio…

DESTINO

Após todo o esclarecimento que tentei registrar acima, resta apenas deixar claro o destino que o Senhor Deus prometeu aos que decidem tomar outras coisas por seus deuses, assim como aos próprios deuses:

E destruirei os vossos altos,
e desfarei as vossas imagens,
e LANÇAREI OS VOSSOS CADÁVERES SOBRE OS CADÁVERES DOS VOSSOS DEUSES;
a minha alma se enfadará de vós.

Levítico 26:30

Mas o Senhor Deus é a verdade;
ele mesmo é o Deus vivo e o Rei eterno;
ao seu furor treme a terra, e as nações não podem suportar a sua indignação.
Assim lhes direis:
OS DEUSES QUE NÃO FIZERAM OS CÉUS E A TERRA DESAPARECERÃO da terra e de debaixo deste céu.

Jeremias 10:10–11

Pois é…
Não importa que existam cinco milhões, quinhentos e oitenta mil, novecentos e trinta e dois caminhos passíveis de ser trilhados pelo ser humano — alguns podendo até, de fato, melhorar a qualidade de vida — o fato é que, dentre todos eles, apenas um é o verdadeiro e todos os outros conduzem à morte eterna.
Desculpe ser tão enfático, cara leitor, mas nem sua bondade nem seus deuses poderão livrá-lo das mãos do único Deus, cuja palavra profética, por sinal, está se cumprindo.

CONCLUSÃO

Já vi alguns outros textos acerca do “namastê”, mas não encontrei nenhum como este, onde me esforço para abastecer com muitas referências bíblicas e, portanto, sólidas e irrefutáveis a argumentação que os cristãos legítimos devem apresentar contra todo o lixo esotérico / místico / diabólico que a humanidade já possa ter inventado!

Se você realmente é cristão, então a partir de agora tem plena consciência e vergonha de que “namastê” não é uma palavra a ser inclusa em seu vocabulário, ou, pior ainda, usada como forma de cumprimento, pois o Deus que habita em você de forma alguma se curvaria (e nem permitiria que você se curvasse) , sob nenhum pretexto, diante de algum outro deus qualquer.

Eu sou o SENHOR;
este é o meu nome;
A MINHA GLÓRIA, POIS, A OUTREM NÃO DAREI, nem o meu louvor às imagens de escultura.

Isaías 42:8

Por isso te anunciei desde então,
e te fiz ouvir antes que acontecesse,
para que não dissesses:
O meu ídolo fez estas coisas,
e a minha imagem de escultura,
e a minha imagem de fundição as mandou.
(…)
Por amor do meu nome retardarei a minha ira,
e por amor do meu louvor me refrearei para contigo,
para que te não venha a cortar.
(…)
Por amor de mim, por amor de mim o farei, porque, como seria profanado o meu nome?
E A MINHA GLÓRIA NÃO A DAREI A OUTREM.

Isaías 48:5,9 e 11

E se, porventura, alguém usar “namastê” para te cumprimentar, o certo seria que você, como cristão, respondesse:

O Deus que habita em mim desfará o deus que habita em você pelo assopro da sua boca, o aniquilará pelo esplendor da sua vinda; e ele será lançado no lago de fogo e enxofre, onde também estarão a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre.

Nesse mundinho politicamente correto em que vivemos isso seria um choque, não?!
Mas, como não é nosso objetivo criar o conflito, sugiro que façam como eu e deem apenas um “bom dia” ou, no máximo, “tenha uma vida feliz”…

O adversário de nossas almas bem sabe o destino reservado a ele, seus anjos e seus seguidores, por isso desenvolveu através da história esse discurso de tolerância, minorias e diversidade que pôs para funcionar há mais ou menos de um século: de que outra forma poderia ele perseguir e exterminar os cristãos — coisa profeticamente predita — e implantar seu reinado neste mundo?
Faz sentido para você?

Prossigamos resilientes, pois o que vemos agora ainda vai piorar… e muito.

E sucedeu que, ouvindo eu estas palavras, assentei-me e chorei,
e lamentei por alguns dias;
e estive jejuando e orando perante o Deus dos céus.
E disse:
Ah! Senhor Deus dos céus, Deus grande e terrível!
Que guarda a aliança e a benignidade para com aqueles que o amam e guardam os seus mandamentos…

Neemias 1:4–5

O Senhor guarda a todos os que o amam;
mas todos os ímpios serão destruídos.

Salmos 145:20

O Senhor nos preserve.

QUEM FALA O QUE QUER...