A curva chegou!

A Balada do Violento

CHEGOU A CURVA ONDE EU IA TE PEGAR…

Não viu nada especial nela, mas foi em frente
Casou porque era normal casar
Era um xucro sem respeito… nem pelo próprio matrimônio
Foi pondo filhos no mundo porque a programação da TV era chata quando não estava passando futebol
O tempo foi majorando o incômodo dos tantos percalços que atrapalhavam sua tranquilidade
As crianças, inocentes flagelos, eram motivo de discussões vulcânicas onde o sangue pulsava na garganta
Até que um dia, por um motivo bobo como um copo de cerveja quebrado pela filha mais velha (que nem tinha cinco anos), perdeu as estribeiras e a mulher pulou na frente para impedir que espancasse a criança… e acabou ela própria sendo o saco de pancadas aquela noite.

Continuar lendo “A Balada do Violento”

Providência 2

QUANDO A ESMOLA É DEMAIS…

Ninguém deve se lembrar da pirraça — só essa palavra mesmo, PIRRAÇA, coisa bem de criança, para descrever — que cometi no dia 14 de agosto de 2015… acho que só mesmo a própria postagem para deixar bem clara a virada que vai acontecer no decorrer desse relato:

Continuar lendo “Providência 2”

Abrindo Meu Coração

QUERIDO SOBRINHO…

Apesar desse texto inteiro acabar girando em torno de sua escolha, ele em momento algum é seu: resolvi concretizá-lo para registrar meus próprios sentimentos, expor e revisar as bases de minha fé e, caso a morte se manifeste, não deixar dúvida alguma sobre minha linha de pensamento e ação, coisa que nenhum governo ou lei desse mundo pode forçar a mudar.

Continuar lendo “Abrindo Meu Coração”

50 Tons De…

A REVELAÇÃO DE UM SEGREDO VERGONHOSO

… então, naquela segunda feira quente, dentre todos que estavam ali, ela me chamou.

Olhou meu corpo de cima a baixo e ordenou que tirasse o calçado.
Obedeci.

Com sua voz firme, me instruiu para que deitasse na cama e aguardasse.
Foi então que pude prestar atenção nas pessoas ao redor: seus gemidos e ocasionais gritos preenchiam o ambiente e me distraíram, impedindo de perceber que ela calma e silenciosamente se aproximava por trás de mim.

Continuar lendo “50 Tons De…”
O eterno herói

Meu Irmão

DE 1973 ATÉ 1980

A falta da figura, de fato, paterna, me levou a involuntariamente ir buscando possíveis substitutos ao longo de minha vida juvenil. O primeiro e mais óbvio foi meu irmão, nascido 11 anos antes de mim e possuidor de um espírito aventureiro e livre, talhado, apesar dos conflitos, sob a constante sombra do pai que, no meu caso, foi irregular.

Continuar lendo “Meu Irmão”

Cabelo Ruim

NUNCA SENTI ORGULHO POR ALGO QUE SÓ ME TRAZIA PREOCUPAÇÃO E VERGONHA

Sorrio e desejo sorte todas as vezes que vejo pessoas, geralmente militantes, ostentando suas gigantescas jubas e dizendo que têm orgulho daquilo, pois meu cabelo era tão ruim que chegou a me fazer passar vexame em certas ocasiões e, por fim, virou até caso médico!
Só após ficar completamente sem ele consegui dormir melhor… e ser um pouco mais feliz!

Continuar lendo “Cabelo Ruim”