fbpx

Foto de aber­tu­ra : Paço Muni­ci­pal de São José dos Cam­pos – Vis­ta Notur­na,
por Dur­val Car­va­lho dos San­tos em Outu­bro de 2018.

ALÉM DE PITANGAS, O QUE DEVE CHORAR QUEM PRECISA GANHAR MAIS QUE BISCOITOS ?

Tem­po esti­ma­do de lei­tu­ra : 6 min

Con­ti­nu­an­do exa­ta­men­te de onde parei no capí­tu­lo ante­ri­or, não tinha como pre­ver o tan­to que o mun­do ia pio­rar depois daque­le dia, mas… (já dis­se isso) via­jar pela Via Dutra é uma das coi­sas que mais gos­to de fazer nes­sa vida !
Com a for­te sen­sa­ção de ter pres­ta­do um pés­si­mo exa­me pela manhã, deci­di par­tir da “capi­tal do Vale” ain­da naque­le domin­go, mas antes de pegar a estra­da inven­tei de pas­sar no Cen­ter Val­le e aca­bei des­co­brin­do que nenhum paraí­so pode ser tão per­fei­to : o shop­ping esta­va tão lota­do, mas tão lota­do… que pre­ci­sei dar três vol­tas intei­ras (pas­san­do, inclu­si­ve, pelo pré­dio-gara­gem) até achar uma vaga para esta­ci­o­nar!!
Como eu gos­ta­ria que os pro­ble­mas de minha cida­de se resu­mis­sem a isso… e que essa his­tó­ria não tives­se um final tão ruim.

Infe­liz­men­te a jor­na­da se tor­nou um tan­to menos agra­dá­vel des­de que a sur­dez pro­fun­da me agar­rou e pas­sei a não con­se­guir mais ouvir músi­ca : par­ti­cu­lar­men­te naque­le 1° de dezem­bro de 2019 o retor­no ao Rio de Janei­ro foi amar­go, tan­to pela insa­tis­fa­ção com meu desem­pe­nho no cer­ta­me quan­to pela pre­o­cu­pa­ção em dei­xar minha irmã sozi­nha na casa onde minha mãe fale­ce­ra na sema­na ante­ri­or
Sei bem que mui­tos lei­to­res não acre­di­tam em Deus, mas con­fio que gra­ças a Ele tudo cor­reu o melhor pos­sí­vel : che­ga­mos bem e as tare­fas típi­cas de fecha­men­to de ano ocu­pa­ram meus dias.

TÉDIO, MEU CARCEREIRO

E, apro­vei­tan­do que aca­bei de fazer refe­rên­cia ao Cri­a­dor, é a Ele que ele­vo meus pen­sa­men­tos enquan­to exe­cu­to as bucó­li­cas tare­fas domés­ti­cas como, por exem­plo, lim­par o quin­tal ou lavar a lou­ça : antes cos­tu­ma­va ter o pra­zer de ouvir músi­ca enquan­to fazia tais coi­sas, mas a sur­dez se encar­re­gou de tirar até a sim­ples ale­gria de meus delei­tes musi­cais e me obri­gou a me iso­lou na soli­dão do raci­o­cí­nio.
Con­ver­sar con­si­go mes­mo te pare­ce tedi­o­so ?
De fato, é mes­mo, mas essa tem sido minha rea­li­da­de des­de o final de 2018 e, de cer­ta for­ma, estou até me adap­tan­do… tan­to que, ao final de mar­ço de 2020, quan­do a pan­de­mia de Coro­na vírus che­gou, pouquís­si­ma coi­sa mudou em minha roti­na : se a fal­ta de opor­tu­ni­da­des em even­tos já era dra­má­ti­ca, a cri­se finan­cei­ra não pio­rou por­que eu já per­dia algu­mas noi­tes de sono des­de antes… a úni­ca dife­ren­ça foi só não mais pre­ci­sar levar as cri­an­ças à esco­la.
Sin­ce­ra­men­te não me como­vi quan­do, em pou­co tem­po, come­ça­ram a apa­re­cer mui­tas pes­so­as recla­man­do da “ago­nia da qua­ren­te­na”, pois eu já vinha viven­do essa rea­li­da­de há mais de um ano.

Esta­va eu resi­li­en­te­men­te admi­nis­tran­do toda essa des­gra­ça quan­do, na tar­de do últi­mo dia de mar­ço, meu mun­do vira de cabe­ça para baixo :

No con­cur­so em que me vi der­ro­ta­do… eu esta­va sen­do con­vo­ca­do!!
E, para con­fir­mar a mim mes­mo que minha defi­ci­ên­cia era somen­te audi­ti­va, mas nun­ca men­tal, ain­da hou­ve mais um deta­lhe importantíssimo :

Sim, por con­ta da sur­dez aca­bei con­du­zi­do à 1º colo­ca­ção… da lis­ta espe­ci­al, mas ain­da assim foi uma lufa­da de con­ten­ta­men­to : meus olhos bri­lha­ram de espe­ran­ça e minha vida ganhou sen­ti­do de novo !

QUEBRA-CABEÇA

Se em dias comuns pre­pa­rar docu­men­ta­ção já nem é uma coi­sa que flui com faci­li­da­de, ima­gi­ne no meio de uma pan­de­mia!?
Eu pode­ria for­çá-los a sofrer com meu rela­to sobre como é estra­nho e apo­ca­líp­ti­co andar por ruas vazi­as e tudo fecha­do, além da ago­nia de ter ape­nas três dias para con­se­guir uma docu­men­ta­ção que nenhum órgão cari­o­ca sequer conhe­ce o nome ou o códi­go, mas vou ali­vi­ar con­tan­do que o deses­pe­ro por tra­ba­lhar era tão gran­de que, pelo “car­tó­rio on-line” fui cobra­do em mais de tre­zen­tos reais para con­se­guir todos os meus “nada cons­ta” no Rio de Janei­ro e — de que­bra, por segu­ran­ça e mes­mo não sen­do resi­den­te em São Pau­lo — ain­da fui até o link indi­ca­do na men­sa­gem de con­vo­ca­ção e pedi tudo por lá também !

E o medo de ser con­ta­mi­na­do então ?
Eu pode­ria rela­tar o sen­ti­men­to de inse­gu­ran­ça por estar dei­xan­do a famí­lia em casa e indo cru­zar mais de tre­zen­tos quilô­me­tros de estra­da com uma cópia impres­sa do edi­tal de con­vo­ca­ção em mãos para o caso de ser para­do em algu­ma bar­rei­ra sani­tá­ria, mas, ao con­trá­rio da expec­ta­ti­va “Mad Max” da jor­na­da, aca­bei encon­tran­do a melhor e mais lin­da Via Dutra pela qual já pas­sei em toda a minha vida !

Para alguém que teve que pedir esmo­la em dezem­bro de 2019, foi um peso mui­to gran­de pôr o com­bus­tí­vel para tama­nha aven­tu­ra, mas a expec­ta­ti­va de mudar essa vida mise­rá­vel que tenho supor­ta­do no Rio de Janei­ro me fez igno­rar até isso : eu faria de tudo para poder evi­tar que minha espo­sa tives­se que con­ti­nu­ar se expon­do aos ris­cos ines­pe­ra­dos das madru­ga­das vio­len­tas quan­do, para sobre­vi­ver, ia tra­ba­lhar em even­tos que aca­ba­vam duas, às vezes três da manhã ! Ape­sar de eu ir bus­cá-la na mai­o­ria das vezes, cru­zar a Ave­ni­da Bra­sil às duas da manhã — seja no trans­por­te que for — te colo­ca numa con­di­ção de estar jogan­do com a sor­te e ape­nas espe­ran­do qual o dia em que se vai depa­rar com algu­ma mani­fes­ta­ção do mal…

Não pos­so dei­xar de regis­trar todo o apoio e cari­nho que rece­bi de minha sobri­nha e seu mari­do, que todas as vezes — e espe­ci­al­men­te nes­sas, duran­te a pan­de­mia — gra­ci­o­sa­men­te me rece­be­ram em sua casa e fize­ram todo o pos­sí­vel para que pudés­se­mos logo nos tor­nar tam­bém, como eles, cida­dãos jose­en­ses.
Aca­bei ten­do de ir até lá ain­da mais uma vez além des­sa pri­mei­ra, mas…

O TEXTO MAIS DIFÍCIL DE TODAMINHA VIDA

As pes­so­as que sabi­am da apro­va­ção fica­vam ani­ma­das, mas quem me conhe­ce de ver­da­de sem­pre per­gun­ta­va como eu ia me virar para ser Fis­cal de Pos­tu­ras Muni­ci­pal com esse bra­ço direi­to cheio de pla­cas metá­li­cas e sur­do.
Ora, meus que­ri­dos — res­pon­dia eu empol­ga­do — eu fui mili­tar, con­tro­la­dor de trá­fe­go aéreo por 20 anos : sei mui­to bem o que é dis­ci­pli­na ! Esses 10 anos no mun­do de even­tos ain­da me deu a expe­ri­ên­cia de lidar com o públi­co… vai ser per­fei­to zelar por uma cida­de tão mais civi­li­za­da que esse infer­no carioca !

Eu já podia ante­ver meus filhos matri­cu­la­dos em algu­mas das melho­res esco­las públi­cas do Bra­sil, fora o alí­vio de não ter que cru­zar a Ave­ni­da Bra­sil intei­ra para, numa emer­gên­cia, ir de Cam­po Gran­de até o HCA, na Tiju­ca… eu sonha­va com viver e não ape­nas sobre­vi­ver !
Só que jus­ta­men­te o fato de ter sido, ou melhor, não ter dei­xa­do de ser mili­tar, aca­bou com o meu sonho :

De que adi­an­ta a FAB ter me dado um docu­men­to dizen­do que “pos­so tra­ba­lhar” se não pos­so ter um empre­go está­vel que pague um salá­rio que não será con­su­mi­do pela ascen­são na alí­quo­ta do IRPF ?
De que me vale­ram tan­tas horas de sacri­fí­cio, com fones de ouvi­do espe­ci­ais, estu­dan­do para apren­der coi­sas que nun­ca vou poder uti­li­zar ? Só para me pro­var que minha men­te até pode ser boa, mas que devo con­ti­nu­ar mise­rá­vel e sem mere­cer um tra­ba­lho dig­no por não con­se­guir mais aten­der telefonemas ?

Nes­se dia meu sonho aca­bou, meu mun­do caiu e aca­bei pas­san­do até um tem­po lon­ge da inter­net…
Per­di meu orgu­lho e acho que ago­ra, com as dívi­das des­se 2020 catas­tró­fi­co baten­do às por­tas, vou per­der minha ver­go­nha e sair pedin­do esmo­la.
Se você leu até aqui espe­ran­do um final feliz, sai­ba que quan­do come­cei a escre­ver nem eu espe­ra­va tama­nha decep­ção.
Então, antes de me cri­ti­car, por favor, valo­ri­ze o esfor­ço do escri­tor e me aju­de a pagar uma con­ta, por­que, como sur­do, a mai­o­ria das pes­so­as só espe­ra me ver sina­li­zan­do, res­trin­gin­do meu voca­bu­lá­rio e a com­ple­xi­da­de de meu raci­o­cí­nio para poder, se achan­do mise­ri­cor­di­o­sas, me ofe­re­cer um subem­pre­go bra­çal e “com car­tei­ra” pelo qual, pelas regras do impos­to bra­si­lei­ro, no final das con­tas eu vou aca­bar pagan­do para trabalhar !

Con­fes­so que já pedi a Deus para me tirar essa vida e não enten­do a razão de ter che­ga­do até aqui… é para expor minha espo­sa e fazer meus filhos pas­sar ver­go­nha e neces­si­da­de ?
Não vou dar cabo da vida… lon­ge dis­so !
Vou seguir em fren­te, sufo­ca­do pelas más­ca­ras de pro­te­ção e olhan­do esses dias cada vez pio­res para toda a huma­ni­da­de, mas real­men­te não vejo mais pelo o que pos­sa me esfor­çar ou dedi­car : o desâ­ni­mo é tan­to que tran­quei a facul­da­de, parei os cur­sos livres e nem sei como hoje, de 25 para 26 de outu­bro, arru­mei cora­gem e dis­po­si­ção para con­tar esse epi­só­dio com final tão frus­tran­te e abso­lu­ta­men­te infe­liz, mas que cer­ta­men­te jus­ti­fi­ca o títu­lo que esco­lhi para a tri­lo­gia : o mun­do é assim, né, São José ?

Um abra­ço.

Me dá um “joi­nha”?
Gos­tou ? Me aju­de compartilhando…
  • 4
  • 4
    Sha­res

Geovane Souza

Já fiz e faço tantas coisas que só criando um site para concentrar e apresentar essa variedade.

  • Ana Paula Azevedo disse:

    Puxa , lamen­tá­vel o final dis­so tudo ! Será que não cabe recurso ?
    Dian­te mão fico na tor­ci­da pela vida de vocês !
    Como creio que nada acon­te­ce por aca­so, acre­di­to pia­men­te que Deus te reser­va algo de melhor !
    Um gran­de abra­ço ! Fiquem bem !

    • GeovaneSou disse:

      Pois é, Ani­nha… não cabe recur­so, mas pelo menos a gen­te con­ti­nua estan­do por per­to por mais um tem­pi­nho, pois de tudo que recla­mo aber­ta­men­te des­sa cida­de infer­nal onde vive­mos, pes­so­as espe­ci­ais como você e sua famí­lia são o que ain­da nos con­so­la por estar aqui.
      Que Deus os abençoe !

  • Boa noi­te Geovane,á anos que venho seguin­do seus posts e natu­ral­men­te che­guei a este…Sei que DEUS paea tudo tem um pro­pó­si­to na vida e con­si­go não é diferente.Observo des­de o iní­cio dos seus escri­tos um des­crer e dimi­nui­ção de fé por via da sua tra­jec­tó­ria de vida,mas man­te­nha a fé e sua per­se­ve­ran­ça em DEUS pois E’le ain­da vai bra­dar na sua vida e dos seus…Sou por­tu­gue­sa e sen­ti de DEUS de o ajudar,não sei como mas DEUS vai-me mos­trar o modo,visto viver em Portugal,mas á sem­pre um jei​to​.Se puder envie-me o núme­ro da sua conta,o nome do ban­co e o seu nome..Aqui em Lis­boa exis­tem esses tipo Luso transfers,logo verei como darei o jeito..Fique na paz e aqui­e­te seu coração,pois DEUS não o desamparou…Um abraço,Filomena.

    • GeovaneSou disse:

      Filo­me­na, sin­to-me hon­ra­do e agra­de­ci­do por ter se expres­sa­do aí de Por­tu­gal e ape­sar do can­sa­ço e tris­te­za que pas­sei, pode ter cer­te­za que das pou­cas coi­sas que ain­da tenho, a mais sóli­da é a fé : ten­tan­do esca­par da dure­za das pala­vras que tenho de falar, ten­tei cri­ar outros cami­nhos, mas Deus tem me toca­do de que minha mis­são, meu cha­ma­do… é aque­le que come­cei em 2005 e pelo qual tan­to sofri.
      Pode ter cer­te­za : reco­me­cei a escre­ver e ago­ra estou cons­ci­en­te de que vou sofrer ain­da mais, porém, dian­te de tudo que está acon­te­cen­do no mun­do, sou leva­do a crer que será o “arran­que final” e só vou parar quan­do esti­ver pes­so­al­men­te com o Senhor Jesus Cristo.

      Que Ele nos pro­te­ja e sus­ten­te. Um fra­ter­nal abraço !

  • >
    Creative Commons License
    Except where otherwise noted, GeovaneSou, Eu Mesmo by Geovane Souza is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.
    %d blogueiros gostam disto: